sexta-feira, agosto 25, 2006

Leveza


Leveza

Meus passos seguem
leves feito poeira

Minha mente segue
leve feito brisa

Meu coração bate
leve como algodão

Deixei os pesos da vida
na estrada já percorrida

O tempo me deu este momento
Posso caminhar sem julgamento

Missão


Homenagem ao Ludiro, escrita pela poetisa Benvinda Palma

Missão

Entre bombas e ogivas,
canhões, trincheiras,
Corpo cansado, à deriva,
Sob o Sol, chuva, sereno,
Suor, sangue, solidão,
Que a vida não é brincadeira!
Assim caminhava aquele soldado,
Deixando seus sonhos de lado,
Deixando planos engavetados,
Deixando seu amor, o aconchego do lar,
Deixando o lazer, a alegria,
Tendo apenas como companhia,
A nefasta missão de defender a pátria idolatrada!
Benvinda Palma

terça-feira, agosto 08, 2006

muro

muro

não lembro ao certo
quando o muro foi erguido

foi surgindo aos poucos,
uma palavra áspera aqui,
um descaso acolá
e quando percebemos,
estava pronto

e desde então,
tem nos dividido ao meio


Ademir Antonio Bacca, do livro "Plano de Vôo"

Tentativa de Suicídio

Imagem fantástica nesse haicai escolhido dentre outros de Leila Míccolis!

Tentativa de Suicídio

Foi ao toalete,
e cortou os sonhos
a gilete.

a Blocos online

Uma homenagem a Blocos online:

Com blocos de concreto: prédios,
com Blocos de emoção: prosa e versos online

segunda-feira, agosto 07, 2006

Retratos



Retratos

Minha história
gravada nas figuras
Meu passado
presente nas molduras

Poema da Benvinda

Se todo rabisco fosse assim, uma obra prima...
Este é da Benvinda Palma.
Leiam e vejam como tenho razão!

Espinhos

Nasceu uma linda Rosa em meu jardim.
Rara, de um perfume excitante!
Que me deixava embriagada e
O meu desejo despertava a todo instante!
Cuidei dela com todo carinho,
Dispensei a ela todo meu amor!
Mas ela também tinha espinhos!

Benvinda Palma

quinta-feira, agosto 03, 2006

Desvelo

se me escondo em máscaras
revelo o disfarce

se oculto as raivas
revelo o medo

se desconheço as mudanças
revelo a permanência

em tudo que escondo
há desvelar de sentimentos