quarta-feira, setembro 27, 2006

Indignação

Indignação

trabalhadores brasileiros
exaustos adoecem e têm
queda de produtividade

temos a pior
câmara legisladora
de todos os tempos

a violência comandada
de dentro dos presídios
oprime a sociedade toda

a novidade
fica sempre mais importante
que a maturidade

a poluição destrói
os rios secam
as matas caem
mas os gritos dos ecologistas
não ecoam nos lares

nosso povo se embriaga
na multiplicação dos bares

crianças e jovens
que se atrevem a gritar
contra um sistema que oprime
dá privilégio a informações
deixa tempo mínimo às ações
estão sendo medicadas
pra diminuir a atividade

estou tendo indigestão
de tanta notícia ruim
de tanta informação atravessada
que não escolhi alimentar
me sinto indignada!

Inversões

Inversões

De tanto ver
a morte estampada na TV,
ela não me surpreende mais

De tanto ouvir
sobre a violência dos marginais,
o cidadão se prender
se tornou regra geral

De tanto presenciar
a bebida dominar a mente,
o estranho é a sobriedade

De tanto ler
sobre a violência
em manchetes garrafais,
ser pacífico ou pacificador
é que se tornou marginal

De tanto ver o amor banalizado,
o que passou a importar aos casais
é o encontro na relação sexual

a corrupção se tornou banal,
a religião saiu das relações,
entrou em templos como espetáculo
ser político é buscar bem material

Essa medéia com seus tentáculo
invade o privado e o social

Nadando contra essa corrente
pareço ser incoerente
O que deveria ser coletivo
passa a opinião individual
Com tanta tecnologia,
viver na simplicidade
já não é natural

segunda-feira, setembro 18, 2006

Antologias



Capas das Antologias do Café Filosófico das Quatro, cujo lançamento aconteceu durante o XIV Congresso Brasileiro de Poesias, em Bento Gonçalves.

terça-feira, setembro 05, 2006

Insônia

Insônia

Meu corpo rola na cama
e minha mente viaja
a lugares distantes
Encontro pessoas
Crio cenas mirabolantes

Meu corpo rola na cama
e minha mente remoça
volta no tempo, encontra
vê de novo fatos vividos
gente não mais conhecidas
deixadas e perdidas atrás

Meu corpo rola na cama
e minha mente antecipa
encontros, espaços, tempo
crio as falas diálogos
fico dona de mentes alheias
falo comigo o tempo inteiro

Insônia II

Insônia II

Quando acordo
nas madrugadas
o pensamento vai longe
resolvo velhos problemas
às vezes invento novos

Antologia do Congresso

Capa do volume 4 da antologia do XIV Congresso Brasileiro de Poesia, do qual estou participando
Lançamento na noite do dia 5 de outubro, na cidade de Bento Gonçalves, RS.