domingo, dezembro 17, 2006

Simplesmente Maria Angelical

E agora, o poema da revelação de que a Ge saiu comigo no amigo oculto. Lindo!



Simplesmente Maria Angelical

Chegastes como um presente que surpreende.
Sua sensibilidade faz um passeio por todos
Os elementos que compõe a energia da
Nossa natureza... O ar, a água o fogo e a terra...

Há em você uma multiplicidade
De seres... A energia transmuta entre si
Em uma sutiliza de um tênue fio condutor
Da luz que emana de sua aura...

A simplicidade invade suas entranhas
Ao deliciar-se com os cantos dos pardais
No frescor das tardes das bucólicas cidades
Das Minas Gerais.

Inspira –se em emoções! Seu olhar vagueia
Em sonhos e busca seu tempo ainda menina...
Numa dicotomia de valores intrínsecos a alma...
A simplicidade à sabedoria desafia a Deusa Atena

És forte e traz em seu peito a força da terra...
És luz que ilumina com as energias que cortam
O ar em raios e trovões os céus em noites
De chuva... Chora a terra em alegria por existires...

És a mãe, o útero sagrado em suas composições.
Poéticas...Embala em seus sonhos os sonhos
Dos filhos seus...Acaricia com a ternura do olhar
Do afago os grandes amores gerados pelas emoções.

És a água cristalina que brota num pequenino
Olho d’água... Que brota da terra fértil...
Tua luz alastra pela vida como as labaredas
De fogo lambendo o inútil e fazendo renascer vida.

És simplesmente Maria... Angelical!
Ge Fazio

Amiga Secreta

Esse poema ganhei da Ge Fazio quando ainda era amiga oculta, nem tão oculta assim!
Muito obrigada à Ge por todo o carinho com que para mim.

Amiga(o) Secreta(o)

Amiga menina, amigo menino.
Nem sei... És corpo de princesa
Porte de rainha e a força
De um grande rei.
Assim me pareces!
És a majestade de teu ninho...
Hoje teu Reino...
Que belo rosto nos apresenta
teu álbum de fotos
E de lembranças...
Dizem que tu és tão doce
Quanto os potes cheios de mel.
De brincadeiras...
Faz-te Criança
Brinca, corre trazendo brilho
por ande passas...
Dorme o sono mais profundo
e abre os olhos...
E já está
Entre os melados e as rapaduras
da antiga roça...
Ah! Que saudade
que também tenho do tão
Famoso capim gordura
da minha infância igual aTua...
Tão natural em nossa terra...
Lembra de teu tempo criança?
Ah! Amiga, amiga não estás mais tão oculto!
Faz parte de minha terra querida...
Meu berço que vejo asVez oculta...
Morro de amores por todo o povo
Da linda região sul
e amo demais a turma do nordeste
Posso andar pelo norte
E jamais abandono
o Meu querido Sudeste!
Amiga menina, amigo menino.
Nem sei... És corpo de princesa
Porte de rainha
e a força de um grande rei.
Assim me pareces!
Ge Fazio