sexta-feira, março 30, 2007

Antítese

Este é um Brasil de contrastes
ora em harmonia
ora em oposição
A solidariedade caminha
lado a lado com a violência
A mesma mão que mata
se estende pra ajudar
um irmão

Meu Brasil de antíteses
de vigor nas leis
e fragilidade em seu cumprimento
certo e errado misturados
bem e mal entrelaçados


Que disparidade!
Há indiferença
entre bandido e cidadão
Se um pode ser aprisionado
pela lei
o outro fica prisioneiro
do medo,
constrói suas grades
pra se proteger do ladrão

terça-feira, março 20, 2007

Carregadores

Eis o resultado do concurso "Carregadores", foram belos trabalhos enviados por e-mail, foi difícil escolher dentre eles o melhor, precisei de uma ajuda técnica para termos uma solução, convidei uma equipe formada por seis julgadores, dentre eles um jornalista, dois mestres em português, um artista plástico, um escritor e finalmente eu! Por isso não consegui o resultado no prazo previsto! Grato aos amigos colaboradores da comitiva de avaliação, quais fizeram por amor e dedicação e sem interesses lucrativos, agradeço aos 57 amigos participantes com os seus belos trabalhos e a confiança depositada a este evento!!
Foi levado em caráter de avaliação a criatividade, a ligação perfeita com o tema e a foto, a escrita e principalmente a sensibilidade. Cada trabalho levou uma pontuação de cada membro da equipe avaliadora, a qual pontuou de 0,0 a 10, após feito isso houve a some e a média. Não houve caso de empate!
Apreciem os trabalhos vencedores de BiláBernardes e Cristiane de Ângelo!!

Carregadores

Quando era criança
me indignava
com fotos e fatos
de pessoas humildes
transportando liteiras
carregando a elite
pelos caminhos

Meu coração pequenino
questionava:
Como poderia existir,
trabalho tão vil?
pessoas obrigadas
transformadas em instrumento
sem vontade
desejos esquecidos
esquecerem que eram gente?

Volto hoje a ver as cenas
que a História me assombrara
Não são pessoas que carregam agora
É a dor do desemprego
É o peso da exclusão
É a opressão das cidades
É a limpeza do mundo
em suas mãos calejadas
em seus corpos cansados
esculpidos ainda meninos
carregando cargas
maiores que o peso esperado

Hoje não mais
escravos de senhores
ainda carregam a elite
são escravos de um sistema
que arrebata dignidade
e distribui
cada vez mais dores.
Será que percebem
que não é opção?

-- BiláBernardes


Veja o texto de Cristiane no blog "poesias que marcam" e também no http://poetaludiro.arteblog.com.br

Embriaguez

Ainda é cedo sorver um vinho,
mas é hora para ler Bilá.

Abraços

Antologias 2007 CF4 / SPP / TN

‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥‥

Embriaguez
Bilá Bernardes

embevecida com as uvas
recebo umidade das chuvas
absorvo tempo vivido
assimilo o que foi convivido

assim é cada minuto
cada segundo acrescido
para aproveitar o aqui
buscando mútuo equilíbrio

Sentindo o suor do vinho
embebedada de vida
respirando poesia

quinta-feira, março 01, 2007

Caminhos de Mulher


Eu que sempre fui forte
me sinto frágil
mas não fragilizada
estou caminhando livre
vou por lugares
onde não há caminhos ainda
vou sem pressa
sempre em frente
há uma infinidade de espaço
a percorrer
contínuo... continuo
não existe cansaço
estou só e sigo

Existe paz... tranqüilidade,
harmonia...
entre estar e ser?
entre viver e morrer?
me angustio
contínuo caminho...
o que irei encontrar?
vida ou morte? ou vida e morte?
ou morte e vida?
ou a contínua luta pela vida?
paro
pausa para me ver, me sentir, refletir

Decido: posso procurar ajuda
aceitar ajuda
posso ser mulher fraca
que precisa de colo,
necessita carinho,
estar junto também para ser cuidada
permitir-me ser cuidada
sem culpa.
posso ser mulher forte e fraca
deixando a coragem
ser mais forte
que o medo
e a esperança
se fazer realidade
acordar
e estar em paz
comigo
*****