quinta-feira, março 01, 2007

Caminhos de Mulher


Eu que sempre fui forte
me sinto frágil
mas não fragilizada
estou caminhando livre
vou por lugares
onde não há caminhos ainda
vou sem pressa
sempre em frente
há uma infinidade de espaço
a percorrer
contínuo... continuo
não existe cansaço
estou só e sigo

Existe paz... tranqüilidade,
harmonia...
entre estar e ser?
entre viver e morrer?
me angustio
contínuo caminho...
o que irei encontrar?
vida ou morte? ou vida e morte?
ou morte e vida?
ou a contínua luta pela vida?
paro
pausa para me ver, me sentir, refletir

Decido: posso procurar ajuda
aceitar ajuda
posso ser mulher fraca
que precisa de colo,
necessita carinho,
estar junto também para ser cuidada
permitir-me ser cuidada
sem culpa.
posso ser mulher forte e fraca
deixando a coragem
ser mais forte
que o medo
e a esperança
se fazer realidade
acordar
e estar em paz
comigo
*****

Nenhum comentário: